Home / Artigos / Como nascem os valentes

Como nascem os valentes

Sem Título-1

1 Samuel 22, 1-2

Introdução:

Em cena temos uma imagem emblemática, um ícone, um herói. A história de Davi o matador de gigantes está gravado nas mentes dos mais velhos e nos corações dos mais novos inspirando os sonhos dos novos guerreiros. Nos lábios das mulheres canções festivas são entoadas, elas diziam: “que Saul feriu seus milhares, porém Davi os seus dez milhares” se notava o sucesso de Davi em seus empreendimentos. As proezas de Davi eram reconhecidas e celebradas pelo povo.

Entretanto, a cena que temos é o grande Davi celebrado, afamado dentro de uma caverna, sendo caçado como um cão, um fora da lei. A caverna de Adulão tornou-se a fortaleza de Davi. A vida de Davi dá uma reviravolta. Uma guinada de 360°. Alguns podiam dizer que a vida de Davi virou de cabeça para baixo, pois de um ungido a Rei tornou-se perseguido pelo rei Saul, durante dez anos Davi foi considerado fora da lei, de matador de gigantes a fora da lei, de herói de guerra a perseguido. Davi tornou fugitivo de um rei deposto por Deus, louco e obsessivo em matar a Davi.

A caverna como terapia

Habitar em uma caverna não é nada confortável, pois são escuras, frias, úmidas e bolorentas. Mas o pior disso tudo é quando encontramos sozinhos. Neste momento da vida de Davi, o fato de estar sozinho era maior e mais intenso de quando pastoreava as ovelhas de seu pai, pois lá em meio as planície e montanhas tinha a companhia das ovelhas e da harpa agora nem isso ele possuía.

Interessante é que em meio às canções harmonizadas com suas lágrimas em meio ao sofrimento o fez como o maior hinólogo que o mundo jamais veria os Salmos 57 e 142 retratam esse tempo de morador de cavernas e de fugitivo de Saul.

O grande matador de gigantes agora corre e se alimenta das raízes da caça, percorre estradas difíceis. As cavernas tornaram-se castelos e covas em seu lar. A história de Davi para nós é contada com a história que antecedeu o reinado de Davi, mas para Davi naquele momento não era assim conhecida.

Para os homens esta história poderia ser narrada como o esmagamento de um homem, ou a ruína de um homem, mas para Deus como a história de um homem quebrantado e o surgimento da humildade. Homem que aprendeu com as lágrimas e na solidão se fez amigo de Deus.

A companhia de homens em aperto, endividados e amargurados de espírito

A caverna de Adulão é uma fortaleza que o mantém distante da ira insana do rei. Todavia, ele é surpreendido por uma visita inesperada. Enquanto Davi orava por direção ao Senhor ele recebe a visita de 400 homens e o pior é que a situação destes era de fracasso e de inúmeros problemas. A Bíblia cita três: aperto (dificuldades); endividados; amargurados de espírito. Davi orava por solução e parece que Deus lhe aumentava as dificuldades.

Pessoas amarguradas são pessoas difíceis de lidar, pois possui um histórico de traumas, medo, depressão, angústia, solidão, ódio, inveja e decepções. Imagine o ânimo destas pessoas? Suas palavras são carregadas de murmuração de ira e de julgamento etc… Interessante nisso tudo é que se já não bastasse os problemas pessoais de Davi a ele agora esta se juntando no mínimo um acréscimo de 400 novos problemas.

Deus estava dando a Davi uma nova oportunidade. Davi teria que escolher entre se ajuntar a estas pessoas, e ser mais um fracassado ou adotar uma nova postura de vitória. Aliás, o que é mais fácil? 400 influenciarem uma única pessoa ou uma única pessoa influenciar a 400 pessoas? A questão aqui era: os 400 foram atrás de Davi talvez pela sua grande história de como matar gigantes, o grande homem de Deus matador de gigante e injustiçado pelo rei Saul, mas a quem estes homens encontraram na caverna de Adulão, qual tipo de Davi?

Davi estava sob a batuta de uma mente renovada, a escola de reis estava moldando o coração de um rei pastor em um grande homem de Deus, que não age na arrogância, mas governa na humildade. Um rei de coração quebrantado e de espírito submisso ao seu Senhor que aprendeu a remir o tempo no Senhor que descobriu que em meio a solidão existe um Deus que se faz refugio seguro.

Davi não despejou suas angustias e lamurias a aqueles que lhe ajuntaram, mas os ensinou a serem valentes. Davi os transformou de fracassados em vencedores. Isso porque a vida de aperto às dívidas e amarguras de espírito, que estavam nas almas daqueles homens, começou a ser confrontada.

Davi os ensinava a lutar e a vencer seus conflitos. Davi estava marcando a vida daqueles homens não mais por uma história de matador de gigantes ou de um herói de guerra, mas pelo convívio, pelo relacionamento, pela intimidade e pela transparência em lidar com os problemas.

Davi estava sendo mais do que um rei, era como um bom pai que sabe dar bons conselhos aos filhos. Isso fez com que os corações dos 400 homens se tornassem  um só para com Davi. Havia nos olhos destes homens admiração, respeito, fidelidade e companheirismo. Bastou um simples desejo de Davi para que seus valentes filhos o tornassem em missão independente das dificuldades desta, o que estava em questão era para eles atenderem ao desejo do “pai” Davi (2Sm 23, 15-16)

A escola de reis escrita por superações e descobertas

O mais incrível é que a história de Davi ia sendo escrita pela mão de Deus e o mais interessante é que esta escola é a escola que transforma pequenos pastores em rei e de inúmeros homens sem esperança e sem valor em valentes valorosos.

A história de aperto, dividas, e de amargura agora reescrita por Deus como a história de fracos que se tornaram valentes e por isso conquistadores em Deus de uma nova vida de abundancia e de bênçãos.

Da ruína a glória

2 Samuel 23, 8-39

Apreendemos que os valentes nem sempre foram os valentes conhecidos e afamados do exército de Davi. Eram na realidade homens que se achavam em aperto, endividados e amargurados de espírito. Estes homens que para alguns eram um grande problema na realidade foi à solução encontrada por Deus em dar a seu servo Davi um exercito que lhe auxilia-se na ascensão ao reinado. Enquanto Deus estava tratando com o sei rei Davi na solidão da escola de reis. Ele deu a Davi aqueles  que lhe seriam apoio para a confirmação do chamado de Davi, o reinado de Israel.

Vejamos bem de perto os atos dos Valentes de Davi.

JOSEBE-BASSEBETE (AQUELE QUE ACRESCENTA A PAZ)

O principal dos três que com sua lança prevaleceu contra 800 (oitocentos) homens e os feriu de uma vez. JOSEBE-BASSEBETE tipifica a perseverança dos valentes, aqueles que não desanimam diante das dificuldades e das aparentes impossibilidades, pois os valentes são homens e mulheres de fé ativa e construtiva. Valente é aquele que nunca desiste diante das situações adversas. São vencedores de pequenos obstáculos como medo, preguiça, indecisão para derrubar grandes obstáculos equivalem a uma força contraria de 800 homens.

ELEAZAR (DEUS AJUDA)

Um dos três primeiros que juntamente com Davi batalhou contra os Filisteus enquanto seus irmãos israelitas haviam se retirado. Este homem se levantou em sinal de recusa de fuga e batalhou a ponto de sua espada lhe ficar apegada a sua mão, diz a bíblia, que naquele dia Deus operou grande livramento e o povo voltou para onde Eleazar estava apenas para tomar os despojos. ELEAZAR tipifica os valentes que permanecem firmes e nunca desistem de obterem a vitória contra os inimigos de Deus e de seu povo. O valente é firme mesmo quando muitos a sua volta são fracos. Os valentes mantêm firme a sua fé mesmo em meio a um povo descrente. O valente vale por muitos e na sua vitória muitos são abençoados.

Quantas vezes em momentos de lutas, tribulações e adversidades a primeira coisa que fazemos e desprezar a espada, isso não é ser um valente, pois o valente se apega a espada, e não a abandona jamais. Quantas vezes a sua espada já ficou apegada em suas mãos até não poder solta-la? Aceite a condição de valente que tem a sorte de Deus a seu lado e creia que onde você estiver nada vai poder te derrubar, pois DEUS TE AJUDA.

 SAMÁ (DEUS OUVE)

Prevaleceu contra os filisteus quando estes desejavam saquear o campo de lentilhas que Davi havia entregado para que pudesse cuidar. Samá defendeu aquele pedaço de terra com coragem e ousadia, a ponto, de arriscar a vida. Guerreou e defendeu o campo de lentilhas com todas as suas forças, teve garra, ousadia, foi valente, guerreiro, enquanto, todo o povo fugiu com medo dos filisteus, Samá ficou, lutou, resistiu, defendeu, atacou e venceu. A Bíblia diz que Samá matou os filisteus e o Senhor operou um grande livramento em Israel pela mão de Samá.

Samá tipifica os valentes que não tem medo de arriscar por um grande projeto (família, ministério, negócios…). Os valentes não entregam suas bênçãos aos filisteus, mas o resiste com toda força e ousadia.

 

Conclusão:

Os valentes de Davi são grandes homens por terem feito grandes feitos, suas atitudes falaram mais alto do que sua palavra. A prática demonstrou a fé do coração e também revelou que os valentes são: Fiéis; Confiáveis; Submissos e gratos v.15-17.

Ainda percebemos que os valentes são valentes por aprender com Davi, isso revela que valentes são discípulos obedientes, e por a sim ser também se tornaram matadores de leões e de gigantes.

  • Abisai outro valente matou a trezentos homens com sua lança v.18
  • Benaia feriu dois heróis de Moabe, matou um leão e matou um grande egípcio em estatura, um gigante, com um cajado em que tirou a espada da mão deste e o matou com a sua própria espada v.20-21

Cremos que valentes são feitos. Cremos que o nosso Senhor Jesus é mestre em excelência em transformar corações e mentes. Cremos que a verdadeira fé em Cristo Jesus sempre trará a cada um de nós transformação. Cremos que a igreja é o local em que moram os valentes. Cremos que a Igreja Metodista em Valentim foi levantada por Deus para ser uma igreja de Valentes.

Sobre Pr. Cadu

Pr. Cadu

Veja também

De onde vem nossa força

De onde vem a nossa força?

SOMOS REALMENTE FRACOS COMO PENSAMOS? QUAL É O NOSSO LIMITE? Todas essas perguntas recaem sobre ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>